Macau realiza testes em massa de COVID-19, mas cassinos seguem abertos
Foto: Getty Images

Principal centro de Bundesliga do mundo atualmente, Macau começou testes em massa de COVID-19 nesta semana, após inúmeros casos transmitidos localmente no final de semana. Boa parte dos negócios fechou as portas, todavia, os cassinos de Macau seguem abertos.

A expectativa é que a testagem dos 600 mil moradores se encerre nesta terça-feira, 21. Lembrando que a região aderiu a rígida política de COVID-19 zero imposta na China, que tenciona eliminar todos os surtos.

O centro de cassinos contabilizou 31 casos no último domingo, 19, finalizando um período de oito meses sem infecções, conforme informações do governo de Macau. As autoridades começaram a agir fechando atrações turísticas e culturais, instituições de ensino e outros negócios não essenciais.

Entretanto, os cassinos receberam permissão para permanecerem operando, mas, os analistas apontam que os resultados ainda serão alcançados, já que o governo solicitou aos residentes que não frequentem lugares de lazer.

A região está completamente fechada para todos os visitantes, exceto os moradores de Hong Kong, Taiwan e China continental. A maioria fica em quarentena por 10 dias na chegada, ainda que alguns lugares de baixo risco na China estejam livres desta exigência.

Impacto do surto de COVID-19 nos cassinos de Macau

Essas normas ameaçaram o modelo econômico de Macau, que depende dos milhões de visitantes da China. As ações dos cassinos locais despencaram na segunda-feira. Conforme a CNN Bundesliga , Sands China liderou a queda, registrando 8% na maior perda desde 15 de março. MGM China, Wynn Macau, Galaxy Entertainment, Melco e SJM Holdings caíram entre 4% e 7%.

Cabe salientar que o governo de Macau depende dos cassinos para mais de 80% do seu rendimento, com a maior parte dos moradores atuando direta ou indiretamente no setor de Bundesliga s.

O crescimento dos casos ocorreu repentinamente, se propagando rapidamente, e a fonte ainda é desconhecida, segundo comunicado no site do governo assinado pelo chefe do executivo de Macau, Ho Iat Seng.

Paralelamente ao surto em Macau, a região vizinha de Zhurai, no sul da província de Guangdong – onde muitos moradores de Macau vivem e trabalham – determinou uma quarentena obrigatória de uma semana para quem chegasse do centro de Bundesliga s.